III. Natureza com Poesia – O Lírio

MINOLTA DIGITAL CAMERA

O Lírio

Curiosidades e Informações Sobre o Lírio

Devido a sua beleza, o lírio participa da cultura e da decoração de diversos povos. Hoje, são conhecidas mais de cem espécies de lírios (do gênero lilium), essa pluralidade é atribuída a sua grande distribuição em diversos lugares do mundo (sua origem remonta a quase todos os continentes), destacando-se entre os lugares o Oriente (principalmente a china), a América do sul (Brasil, Colômbia e Venezuela) e a Europa.

A seguir são apresentadas as curiosidades e informações da flor, tal quais suas origens e significados. E ainda, são delimitadas dicas de cultivo doméstico da flor.

Os usos dos lírios provêm da antiguidade e está enraizado tanto na mitologia egípcia quanto na grega, e até mesmo no Cristianismo. Para os egípcios, essa flor representara a deusa Isis, uma das principais deusas de seus panteões.

Na mitologia grega acreditava-se que estas flores estavam ligadas à deusa Hera como seu símbolo pessoal, diziam os gregos, dentro do mito de Héracles (Hércules) que a planta nascera de uma gota da lua que caíra na terra, fazendo com que o lírio nascesse.

 Curiosidades Sobre o Lírio

De fato, a flor ganhou novíssimas conotações durante o enraizamento da cultura cristã ocidental. Vista pelos medievais até mesmo como símbolo de proteção contra bestas que viessem atacar-lhes, por isso, esses mantinham o cultivo dos lírios em seus jardins.

Acreditava-se também, nessa época, que eles nasceram a partir de uma lágrima que caíra de Eva quando esta foi expulsa do Jardim do Éden. Ainda hoje a flor é dedicada ao culto à Virgem Maria, devido à pureza das emblemáticas flores.

Seu significado geralmente acolhe o valor de pureza e proteção. Hoje, além das conotações religiosas e culturais, o lírio é utilizado para adornar buquês e jardins.

Além do adorno, os lírios constituem, por seu bom odor em produtos, cosméticos e farmacêuticos.

Ele ainda é utilizado em terapias florais, uma das características da planta é a purificação do ambiente, pois ele absorve e elimina os elementos tóxicos de algum local.

Para cultivo doméstico, algumas dicas são recomendadas: os lírios são flores de jardim e quando se apresentam em arranjos seu tempo de vida não é tão duradouro. O solo indicado para seu cultivo é o argiloso, com o clima mais quente. Essa flor não suportar temperaturas frias, assim como não suporta o sol vespertino incisivamente. Nas estações quentes, deve-se regá-los duas ou três vezes semanalmente, e nas frias apenas uma vez mantêm as flores alimentadas.

Pode-se concluir afirmando que os lírios possuem magna graça e beleza, e que seu uso provém da antiguidade e perdurou até hoje em várias regiões do globo. O uso dessas plantas varia e elas possuem significado e atributos de pureza e proteção. Por essa razão seu cultivo e sua apreciação ainda são reconhecidos nos tempos atuais.

Fonte: http://www.ancorador.com.br/

Lírio roxo
 
 
 
 

O Lírio

(Sabino Romariz)

O lírio era uma flor imaculada,

Casta como um sorriso de Maria;

Flor de uma alvura tal que parecia

Ter sido feita de hóstia consagrada.

 

Em Getsemâni, a face ensanguentada

Jesus tragava o cálix da agonia

e uma gota de sangue luzidia

Sobre um lírio caiu cristalizada.

 

E nisto flor, sem mancha concebida,

foi-se tornando como que dorida

Tomando aquele tom violáceo, frouxo…

 

E de como era outrora alvinitente

O lírio da Judeia, finalmente

Crepuscular ficou, tornou-se roxo.

 

O poeta alagoano Sabino Romariz nasceu em Penedo, em 15 de

março de 1871 e faleceu na mesma cidade, presumivelmente em 28

de março de 1883. Foi, por excelência, um provinciano, enraizado

no burgo nativo que, na foz do rio São Francisco, ainda hoje guarda

as marcas de seu passado colonial.

Além de poeta,  foi jornalista,  professor e  funcionário público.

 (Ver mais em: http://www.academia.org.br/)

 

Anúncios

Sobre daurabrasil

Experimento a quietude e adentro meu sítio íntimo. Amplio a sensibilidade... E, com liberdade, encontro-me com a Poesia. Situo ainda algumas questões e o que elas implicam... Sem anular o pensamento, ouso revelá-las, refletindo o sentir e o consentir. (Daura Brasil) * * *
Esse post foi publicado em III. Natureza com Poesia - O Lírio, Natureza, O Lírio, Poesia, poesia, Sabino Romariz, soneto, Texto, texto: Natureza com poesia. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s