IV. Natureza com Poesia – Quaresmeira

QUARESMEIRA

 Quaresmeiras

Nome Científico: Tibouchina granulosa (Melastomataceae).

Características: Espécie arbórea com altura de 8-12 m e 30-40 cm de diâmetro, com ronco revestido por casca pouco escamosa. As folhas são opostas cruzadas, lanceoladas ou elípticas, rijas e com indumento escabro nas duas faces. As flores são vistosas e de coloração roxa. Os frutos são cápsulas deiscentes contento muitas e diminutas sementes. Existe uma variedade da espécie com as flores róseas.

Locais de Ocorrência: Distribui-se pelos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.

Madeira: Moderadamente pesada, dura e de baixa durabilidade quando expostas às intempéries.

Aspectos Ecológicos: Planta perenifólia ou semidecídua característica da floresta pluvial atlântica. Ocorre predominantemente nas formações secundárias como capoeiras e capoeirões. Floresce, geralmente, duas vezes no ano, entre julho-agosto e dezembro-março, e os frutos amadurecem de junho a agosto e abril-maio.

Fonte: http://www.ibflorestas.org.br/

É tempo de quaresmeira!

Por: Maria Ramos

Foto: Flickr

Quaresmeira Flic

Se, com a proximidade das férias e a bateria de provas de fim de ano na escola, você não lembrou de admirar as flores na Primavera, não deixe de observar a quaresmeira ou flor-de-quaresma, como são conhecidas as árvores do gêneroTibouchina.

Elas têm esse nome porque geralmente florescem próximo ao período religioso da Quaresma, que vai da Quarta-feira de Cinzas ao Domingo de Páscoa, embora também possam florescer em outras épocas do ano.

Por causa da intensidade de suas floradas e a boa adaptação ao ambiente urbano, as quaresmeiras, com porte entre 7 e 12 metros, têm sido cada vez mais utilizadas na arborização de cidades, especialmente do Sudeste do Brasil. Devido à sua importância ecológica na reconstrução de áreas verdes, foi até eleita a árvore-símbolo de Belo Horizonte.  

Algumas espécies 

O gênero Tibouchina (Família Melastomataceae) está distribuído principalmente em regiões tropicais e subtropicais da América e inclui aproximadamente 350 espécies, sendo 129 nativas do Brasil.

A mais comum nas cidades brasileiras é a Tibouchina granulosa. Tem entre 8 e 12 metros de altura e é muito vistosa pela abundância de suas flores, que podem ser roxas ou rosas. Por isso, é muito usada em projetos de paisagismo. Suas flores geralmente desabrocham duas vezes ao ano, entre junho e agosto, e de dezembro a março, nesse último período com mais intensidade. Ocorre naturalmente na Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, sobretudo na floresta pluvial da encosta atlântica.  

Quaresmeiras-4

Tibouchina mutabilis ou manacá-da-serra – Foto Flickr

Já a Tibouchina mutabilis é uma espécie muito interessante, porque suas flores mudam de cor, do branco para o roxo, à medida que envelhecem. Possui entre 7 e 12 metros de altura e floresce durante os meses de novembro e fevereiro.

Por ser encontrada na floresta pluvial da encosta atlântica, do Rio de Janeiro até Santa Catarina, aT. mutabilis também é conhecida como manacá-da-serra. Outros nomes populares são jacatirão, flor-de-maio, flor-de-quaresma e pau-de-flor.  

Nas áreas de restinga da Mata Atlântica, é encontrada a Tibouchina pulchra que tem características bem semelhantes a T. mutabilis

Fontes de informação:

 Lorenzi, Harri. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil, vol. 01, 4 ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2002.

Lorenzi, Harri. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil, vol. 02, 2 ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2002.

Fonte: http://www.invivo.fiocruz.br/

Quaresmeira

Quaresmeira _1[1]

Quaresmeira lilás
copa fechada florida
inspira o céu
ilumina o sol
encanta o universo
Quaresmeira florida
copa fechada lilás
brilha o olhar
alimenta a alma
Quaresmeira encantada
florida e lilás
inspira um novo tempo…

(Pedro Cesar Batista)

Anúncios

Sobre daurabrasil

Experimento a quietude e adentro meu sítio íntimo. Amplio a sensibilidade... E, com liberdade, encontro-me com a Poesia. Situo ainda algumas questões e o que elas implicam... Sem anular o pensamento, ouso revelá-las, refletindo o sentir e o consentir. (Daura Brasil) * * *
Esse post foi publicado em IV. Natureza com Poesia, IV. Natureza com Poesia - Quaresmeira, Natureza, Natureza; IV.Natureza com Poesia - Quaresmeira; Texto; Poema. Bookmark o link permanente.

2 respostas para IV. Natureza com Poesia – Quaresmeira

  1. Próximo de minha casa temos uma praça repleta de quaresmeiras, elas estão floridas, mas não tanto quanto costumam ficar, vamos ver mais para frente um pouco, quando todas estão floridas fica realmente belíssima no seu tom lilás…lindo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s